fev 152013
 

 

 

Se reconheceu a canção acima, certamente você tem mais de trinta anos.

Muito antes do MMA, a febre era o kickboxing, que no Brasil recebeu os nomes de boxe tailandês e chuteboxe quando aqui chegaram as lutas de Sawamu, O Demolidor.

O desenho passava à tarde, no canal 7 (TV Record), junto com as aventuras do Speed Racer, Phantômas, O Judoca e outros clássicos animes japoneses. Foi com Sawamu que aprendemos  A Técnica Definitiva, que é o nome oficial do “salto no vácuo com joelhada”,  golpe mortal que todos os moleques um dia tentaram realizar.

 

 

O curioso é que o desenho foi inspirado em um lutador real, o japonês Tadashi Sawamura (cujo verdadeiro nome era Hideki Shiraha), ícone entre os praticantes de artes marciais. Sua fama é tão grande que, além do anime e de participar de um episódio do Ultraman nos anos 70, ele ainda serviu de inspiração para um Pokémon!

 

Aqui ele recebeu o nome de Hitmonlee, mas no Japão ele é conhecido como Sawamurá

Aqui ele recebeu o nome de Hitmonlee, mas no Japão ele é conhecido como Sawamurá

 

Para finalizar, Sawamura, não o desenho, nem o Pokemon, em ação:

 

 

Mas não sabia que seu mundo era pequeno
E os insetos que vagam pelos charcos
Têm poucas chances de alcançar o oceano…

 

jan 122012
 

 

Lucha Libre

 

Sexta-feira, começo da noite, saída do Espaço Unibanco em São Paulo.

– Sr. Babenco, sr. Babenco, por favor, só um minutinho…

– Pois não, em que posso ajudá-lo?

– Eu queria apresentar pro senhor as ideias que tenho para umas séries de tv.

– Olha, eu sou um diretor de cinema, tv não é o meu negócio. E agora eu não tenho tempo pra isso, vou jantar, tá bom?

– Não tem problema, minha casa é aqui pertinho, podemos jantar lá e te eu mostro meus projetos.

– Ah, entendi. Olha, sinto muito, mas eu sou hétero e não tenho interesse…

– Não, não, não é nada disso. Eu também não sou boiola.

– Sei… Mora perto da Frei Caneca, convida um homem pra jantar, usa um cabelo pintado e diz que não é gay…

– A cor não tá boa ainda, né? Eu pintei o cabelo pra tirar as luzes, não ficou bem em mim. Mas isso não tem importância, o que quero apresentar ao senhor é uma ideia pra revolucionar a tv latinoamericana, unindo as séries de tribunal, tipo Law and Order, com a comédia popular, tipo Chaves.

– Ãh?

– Veja se não é uma boa: todo episódio começaria com alguém recebendo uma intimação, e quando o oficial de justiça fosse embora, a pessoa diria: “e agora, quem poderá me defender?”. Aí surgiria de um lugar inusitado um homem com terno vermelho e gravata amarela dizendo “eeeeeuuuuuuu!” e todos exclamariam “oh, o Chapolin Advogado”!

– O quê?

– As possibilidades de roteiro seriam infinitas, mas três ou quatro situações repetidas sempre já bastariam para a série cair no gosto popular. Em pouco tempo os bordões tomariam as ruas.

– Bordões?

– Sim, imagine o povo repetindo “todos os meus honorários são friamente calculados!”, ou “suspeição desde do princípio!”, ou “ninguém tem audiência comigo” ou ainda “não contavam com minha arguição de descumprimento de preceito fundamental?”!

– Minha nossa…

– Dá até pra fazer um reality show pra escolher o protagonista, e pra aproveitar a onda de UFC, é só colocar um hispânico e um brasileiro disputando o papel principal em uma briga no estilo lucha libre. Seria um baita sucesso o combate entre Antonio “Diablo” Banderas e “Misterioso” Rodrigo Santoro! E aposto que muita gente pagaria pra ver o Benício del Toro mascarado dando um mata-leão no Dado Dolabela!

– Putaquepariu…

– Então, o que acha?

– Eu achei essas suas ideias tão… tão… Olha, você deveria procurar o Silvio Santos, ele é de televisão e pode trabalhar melhor com isso.

– Não posso mais falar com o Silvio, a ordem de restrição não permite… Mas tá bom, eu vou procurar alguém da TV. O senhor tem o telefone da Ana Hickman?

– Da Ana Hickman?

-Eu posso ser meio maluco, seu Babenco, mas não sou bobo.

 

.

out 212011
 

 

– Bem amigos, voltamos mais uma vez ao vivo para o octógono montado na Praça João Mendes, aonde ocorre o primeiro evento no Brasil de MMA – Martial Mix Advocates. Já tivemos nessa noite vários combates interessantes, nos quais advogados de diferentes especialidades puderam se enfrentar em busca do cinturão dourado e dos honorários de 30 porcento, mas esse último confronto está complicado, hein, Caio?

– Pois é, Galvão, e a noite prometia muito depois que o Trabalhista usou bem das suas características protetivas, ouviu as orientações jurisprudenciais e dominou o Tributarista, que se achava imune, mas que mesmo com toda sua parafiscalidade não suportou a força da ultrapetição.

– Essa luta foi mesmo muito boa, Caio, mas a grande polêmica veio do combate entre o Criminalista e o Empresarial. Aquela citação da Convenção de San José foi uma verdadeira apelação!

– Concordo, Galvão. Quando o Criminalista ficou acuado ele demonstrou bem o que é amplitude de defesa, e basicamente o que ele fez foi confundir os jurados que, in dubio, decidiram pro reo. O Empresarial não endossou a derrota, vai entrar com protestos, mas ele deveria saber que a sua estratégia de aplicar golpes em duplicata não funcionaria sem a devida cartularidade.

– Polêmica, amigo! Quanta polêmica! Bom, aqui na luta principal nós tivemos um início forte do Constitucionalista, que é reconhecido por ser um homem de princípios, e que tentou definir rapidamente usando a cartada magna. Mas o Processualista usou de agravos, embargos e de medidas inominadas, e agora as coisas estão totalmente paradas. Parece que a tática do Processualista é protelar ao máximo para ganhar tempo, e o Juiz não consegue tomar uma decisão. Pode isso, Arnaldo?

– O problema, Galvão, é que a regra não é clara, cada um interpreta de um jeito. É muita coisa pro Juiz decidir, isso gerou um acúmulo que ele não deu causa.

– Sei, Arnaldo, sei… E o Promotor do evento, Arnaldo? O Promotor não é o Fiscal da Lei? Ele não pode ajudar pra que a definição ocorra de forma mais rápida?

– O Promotor, Galvão? E você já viu alguma intervenção de Fiscal da Lei que fez a coisa andar melhor?

– Tá certo, Arnaldo. Ih, rapaz, o Processualista aplicou um golpe com efeito suspensivo, agora que a coisa não tem data pra acabar mesmo. Nós vamos então seguir com a programação normal e a qualquer hora voltaremos com as novidades, se é que elas ocorrerão ainda neste ano, pois parece que se aproxima uma greve da Justiça. Fórum, a gente se vê por aí.