out 182013
 

 

 

No meio dessa polêmica sobre a autorização prévia para realização de biografias – se não sabe do que estou falando, clique aqui – alguém mencionou o nome da Dra. Solange, que foi a principal censora da época da ditadura. Sob o pretexto da “manutenção da moral e dos bons costumes”, a tesoura da Dra. Solange cortava ou proibia músicas, livros, notícias e qualquer coisa que fosse contrária aos interesses do governo.

Em “homenagem” à censora o Léo Jaime, que tivera muitas músicas vetadas por ela, gravou uma versão de uma música do The Police. Assim, So Lonely virou Solange, com uma letra bem direta à destinatária.

 

O clipe original:

 

O versão do Léo Jaime:

 

Eu tinha tanto pra dizer
Metade eu tive que esquecer
E quando eu tento escrever
Seu nome vem me interromper

 

Léo Jaime já tinha feito outra versão com Sonia.