abr 012014
 

 

O REBOSTEJOS nasceu do Blog do Techerinha, quando decidi ampliar minhas postagens para além das histórias do maior jogador de futebol de todos os tempos.

Anos antes, porém, eu já tinha criado um outro blog para contar histórias pitorescas de advocacia. Apesar de ter feito um registro de domínio no Blig, serviço de hospedagem do IG, nunca cheguei a publicar nada. Esse blog era O Advogado do Quiabo, o que demonstra que REBOSTEJOS não foi o pior nome que criei na internet.

Mas a minha primeira colaboração para a web foi em 2001, quando coloquei na rede A CASA DOS UNESPIANOS, criado a partir de ferramentas simples de editoração e com uso de uma antiga versão do Corel Draw (até hoje eu não sei nada sobre programação ou criação de páginas, e tudo o que faço continua sendo precário e feito à fórceps).

 

casa dos artistas

 

A CASA era uma sátira ao fenômeno televisivo da época, A CASA DOS ARTISTAS, e trazia como personagens alguns de meus colegas de faculdade. Nesse unreality show prevaleciam as piadas internas, que muitas vezes só eram interessantes para os que conheceram os retratados, mas quando o site foi lançado ele fez um relativo sucesso (bem relativo, diga-se) graças a divulgação no fórum de ex-alunos da faculdade.

O problema é que o site estava hospedado no HPG, um serviço gratuito, e que um dia simplesmente deixou de existir. Como eu não tinha backup, A CASA sumiu para sempre.

Nem tudo está perdido, todavia. Por incrível que pareça o meu amigo Adauto “Juninho Paulista” Coelho chegou a imprimir e guardar as telas d’A CASA, e outra dia ele mandou esses arquivos em formato pdf para mim. O site sumiu mesmo, mas praticamente todo conteúdo está preservado, inclusive com os comentários feitos à época.

Segue abaixo então o CASA DOS UNESPIANOS em pdf. Era um site tosco, de conteúdo pobre e piadas óbvias, mas era limpinho.

 

Casa dos Unespianos

 

 

.

out 202013
 

 

Hoje o blog faz 2 anos.

Na verdade, ele nasceu um pouco antes, no Blogspot, mas digamos que aquela foi a pré-história do Rebostejos, que teve seu domínio próprio publicado pela primeira vez em 20 de outubro de 2011.

Não ganhei dinheiro nenhum com isso, algumas pessoas devem ter descoberto o quanto sou xarope e até agora não consegui dominar o mundo virtual com minhas ideias, mas estou feliz porque cada post valeu a pena.

O bacana de ter um blog é justamente compartilhar algo que tem algum sentido, mesmo que ninguém entenda qual é. O importante é que emoções eu vivi, como dizem.

Agradeço aos poucos que me acompanham desde o início pela paciência. Lamento por aqueles que chegaram aqui procurando algo mais interessante no Google. Mando um abraço ou um beijo (depende do gênero) para cada um que deixou seu comentário. E pra você que me esqueceu, aquele abraço.

Para variar um pouquinho, deixo uma música que tem algo a ver com alguma coisa:

 

 

I hope that I can say
The things I wish I’d said
To sing my soul to sleep
And take me back to bed

 

 

dez 042012
 

 

– Luis! Luis! Ô, Luis!

– O senhor está falando comigo?

– Sim, sim! Você não é o Luis Fernando Veríssimo?

– Sou eu mesmo… Desculpe, mas, eu te conheço?

– Acho que ainda não, mas eu estou aqui justamente para me apresentar! Eu sou seu fã, já li tudo o que você escreveu! “Olhai os lírios no campo”, por exemplo, é sensacional!

– É um livro muito bom mesmo, mas quem escreveu esse foi Érico Veríssimo, o meu pai…

– Seu pai, é? Nossa, depois eu vou atrás dele também! Eu gostava muito da época que você trabalhou com o Casseta e Planeta! Por que você saiu?

– Era bom trabalhar com elas na redação do programa mas…

– O programa perdeu muito da graça sem você lá! Gostava muito quando você imitava o Ronaldo Fofônemo e o Lula!

– Ronaldo? Lula? Espere aí! Você está me confundindo com o…

– Olha, Luis, eu te procurei porque preciso te mostrar uma coisa! Eu também sou escritor e gostaria que você desse olhada nos meus trabalhos!

– Escritor, é? Eu deveria saber… Então deixe um livro seu comigo que eu…

– Livro? Não, Luis, eu não tenho livro, eu tenho blog! Eu sou blogueiro! O endereço do meu blog está no meu cartão, tó!

– Ahhh… Mais um blogueiro que é escritor…  Deixe-me ver isso… Este é o endereço do seu blog, www.rebostej…

– Olha, Luis, entre no blog mesmo, hein! Não vá fazer como os meus outros dois ídolos!

– Outros dois?

– Sim, o Chico Anisio e o Millôr! Acredita que eu fui atrás dos dois no começo do ano e eles e até agora não deixaram um recadinho sequer no blog?

– Você procurou o Chico e o Millôr no começo do ano, é?

– Pois é, mas os dois não deram retorno, não atendem minhas ligações…

– Olha, rapaz, tenha certeza que eu vou olhar o seu blog com carinho! Agora você me dê licença que eu preciso procurar uma pessoa com urgência.

– Ah, já sei, o seu agente!

– Não, uma benzedeira…

 

***

 

Ontem o Luis Fernando Veríssimo deixou a UTI. Como é óbvio, este blog não teve participação nenhuma no susto que ele nos deu nesses últimos dias. Nossa única culpa é por publicar mais um texto sem graça na rede, utilizando seu sagrado nome, numa pretensa homenagem.