fev 132015
 

 

paolla-oliveira

 

A porta abriu e uma mulher de salto alto, usando um vestido preto justíssimo, pediu para que o casal entrasse. A esposa reparou nos cabelos da anfitriã; já o marido não conseguiu tirar os olhos do decote.

– Boa tarde, sejam bem vindos! Fiquem à vontade, podem se sentar. Como é mesmo o nome de vocês, queridos?

– Meu nome é Cristina, e o do meu marido é Valter. Nós somos de São José dos Campos.

– Ah, que ótimo! É um belo casal, sou uma privilegiada por recebê-los! Querem que eu busque uma bebida, um drinque para relaxar?

– Eu quero um uísque, pra ela você pode trazer um champanhe – disse o marido.

A mulher deixou a sala e a esposa  perguntou:

– Uísque? Champanhe? A gente nem bebe, homem!

– Ah, pelo preço que eu estou pagando, quero provar de tudo!  – A frase estava carregada de segundas intenções, mas a esposa não percebeu – E aí, o que achou dela?

– Ah, não sei… Ela não é nenhuma Paolla Oliveira…

– Querida, você também não é nenhuma Maria Fernanda Cândido e nem por isso…

– Como?

– Nada, nada… Mas que história é essa de Cristina e Valter?

– É o que me veio na cabeça, Adamastor.

– E agora nós somos de São José dos Campos, Jaqueline?

– Querido, você que inventou isso, agora tem que entrar no clima. Você acha mesmo que o nome da moça é Ana Paula Bombom?

– Acho que não mesmo…

– Ei, o que você está fazendo?

– Estou tirando a camisa, ora! Não é para isso que a gente veio aqui?

– Comporte-se, homem! Tenha respeito pela moça!

– Respeito?!? Mas…

Antes que ele terminasse a frase a mulher voltou à sala, trazendo os copos com as bebidas. Ela se sentou num sofazinho de frente para o casal e perguntou se era a primeira vez que eles faziam esse tipo de programa, pelo que foi respondido que sim. Ela quis saber se queriam esclarecer algo, então “Cristina” disse:

– Eu tenho uma dúvida sim…

– Pois pergunte!

– Achei lindos os seus cílios, são postiços?

– Sim, eu frequento um salão bárbaro, que fica aqui perto, se você quiser posso te passar o endereço. E eu achei o seu cabelo lindo!

– Ah, é aplique!

– Sério? Ficou ótimo, está muito natural!

– Obrigada! Todo lugar que eu vou as pessoas me falam: “nossa, Jaqueline, que cabelo lindo”!

O marido dá um cutucão.

– Ah, eles me chamam assim porque lá em Jacareí meu apelido é Jaqueline.

O marido abaixa cabeça e sussura: “Consertou bem…”

– Mas me fale mais de você, Ana Paula. Você estuda, tem filhos?

– Sério mesmo que é isso que você quer saber dela, Ja… Cristina?

– Não seja indelicado, meu bem, deixe a moça falar!

E a moça falou. Falou que tinha um filho de 10 anos (se o seu anúncio fosse então verdadeiro ela teria tido a criança com 11 anos de idade, mas isso não vem ao caso); falou sobre as dificuldades de ser mãe e profissional, o que causou comentários de “Cristina”; falou sobre o preço da escolinha, do material escolar, dos uniformes… As duas as mulheres passaram a conversar e trocar experiências que abrangeram pedagogia, moda, estética, política, finanças pessoais e quase todos os assuntos.

Todos os assuntos menos sexo, para desespero de Valter/Adamastor. Foi quando percebeu que o marido apontava para relógio que “Cristina” se deu conta que duas horas já se passado:

– Nossa, querido, vamos que está na hora e a Aninha tem que buscar o filhote na escolar. Pague a moça, por favor!

– Pagar a moça? Pelo quê? Nós nem fizemos nada!

– Nós tomamos tempo dela, querido. Além disso, só de conhecer uma pessoa tão batalhadora quanto a Aninha eu já me sinto revigorada! Sou praticamente uma nova mulher! Acho que a partir de hoje nós temos uma nova perspectiva do casamento, não é querido?

O marido olhava incrédulo, e ainda teve que escutar:

– Me desculpe, Aninha, o Adamas… o Valter é assim mesmo, um mão de vaca, mas é um bom homem e tenho certeza que ele vai se esforçar mais no nosso casamento!

A moça recebeu o dinheiro com um sorriso que mal cabia no rosto, e o casal foi embora com a mulher achando que teve uma tarde incrível. Já o homem partiu com uma desilusão que iria se  manter pelo resto da vida toda.

 

.

  One Response to “Para sempre”

  1. Pelo menos valeu a conversa, né?..rsrs

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(required)

(required)

Loading Facebook Comments ...

Warning: require_once(/home/rebostej/public_html/wp-content/plugins/gplus-comments/includes/templates/partials/.php) [function.require-once]: failed to open stream: No such file or directory in /home/rebostej/public_html/wp-content/plugins/gplus-comments/includes/templates/container.php on line 103

Fatal error: require_once() [function.require]: Failed opening required '/home/rebostej/public_html/wp-content/plugins/gplus-comments/includes/templates/partials/.php' (include_path='.:/usr/lib/php:/usr/local/lib/php') in /home/rebostej/public_html/wp-content/plugins/gplus-comments/includes/templates/container.php on line 103