dez 112013
 

 

 

A cerveja estava gelada, o céu estava azul, uma brisa refrescava aquela tarde de verão e todos no bar estavam felizes comemorando o final de mais um dia de trabalho, exceto Pedro.

O músico estava no auge da fama e os poucos momentos que podia passar entre amigos geralmente o deixavam muito feliz, mas naquele dia o desânimo foi mais forte.

– Que cara é essa, meu velho? – perguntou Jonas, amigo de infância que já acompanhara muitas fases de altos e baixos de Pedro.

– Ah, cara… Tá tudo tão…

– Tá tudo o quê? Aconteceu alguma coisa? – perguntou Jonas enquanto enchia o copo.

– Não aconteceu nada. Esse é o problema.

– Como assim?

– Nada acontece… Nada me inspira…

–  Que é isso, cara! Você tá bombando, fazendo shows no Brasil inteiro, ganhando dinheiro como nunca… Isso sem falar na Ritinha, que é uma pessoa ótima, companheira de verdade!

– É, eu sei, mas …

– Mas?

– É que desde que a Lu foi embora…

– Ah, não, cara! De novo a Lu? Para! Essa mulher nunca te deu valor, só te fez sofrer! Sorte sua que ela sumiu!

– Eu sei de tudo isso que você está falando, mas gostava pra caramba da Lu… Ainda tenho saudade…

– Pedro, mas e a Ritinha? A Ritinha é muito melhor pra você!

– A Ritinha é muito boa, uma pessoa bacana, amiga… Mas a Lu, ah, a Lu… E tem outra coisa: o pé na bunda que ela me deu foi a melhor coisa que já me aconteceu.

– Peraí… Vou encher outro copo antes que você me explique essa conversa sem noção…

– Todas as músicas do meu disco novo foram fruto da minha relação com a Lu. Quando ela me chutou eu tive inspiração para os meus maiores sucessos. Só estou na mídia hoje por causa dela!

– Quer dizer então que no final das contas você é grato pelo que ela te fez passar?

– Sim! Quer dizer, não… Sei lá… A Lu era maravilhosa quando estava comigo, e foi tão ruim quando ela me deixou que até coisa boa consegui tirar dali…

– Daqui seu copo!

– Ele tá cheio ainda.

– Eu sei, eu vou é tirar o copo de você porque já bebeu demais hoje.

Pedro entregou o copo, suspirou e parou o olhar para fora do bar, divagando. Jonas não conseguia compreender o que se passava com o amigo, mas sentiu pena e foi para casa preocupado.

***

Um mês depois, Pedro entra em casa e flagra algo aterrador: Ritinha e Jonas, na cama, completamente nus.

Sua reação foi gritar de ódio e bater com a mão contra parede antes de olhar fixamente para os dois, cheio de amargura e decepção. Pego o violão, não disse uma palavra a saiu

***

Tempos depois Pedro lançou um novo disco, que se tornou um sucesso instantâneo e consagrou o músico como grande astro.

Na cerimônia de entrega do disco de platina Pedro agradeceu a poucas pessoas, mas fez questão de homenagear Jonas, que demonstrara ser o amigo que ele mais precisava.

 

,

 

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(required)

(required)

Loading Facebook Comments ...

Warning: require_once(/home/rebostej/public_html/wp-content/plugins/gplus-comments/includes/templates/partials/.php) [function.require-once]: failed to open stream: No such file or directory in /home/rebostej/public_html/wp-content/plugins/gplus-comments/includes/templates/container.php on line 103

Fatal error: require_once() [function.require]: Failed opening required '/home/rebostej/public_html/wp-content/plugins/gplus-comments/includes/templates/partials/.php' (include_path='.:/usr/lib/php:/usr/local/lib/php') in /home/rebostej/public_html/wp-content/plugins/gplus-comments/includes/templates/container.php on line 103